Nutriex Profissional

Blog Teste

5 dicas para você escolher o protetor solar certo para sua pele

Escolher um protetor solar não é tão fácil quanto parece. Antes de mais nada, o ideal é ter em mente o que significa aquele tanto de siglas no rótulo, FPS, UVA, UVB. Se você não tem ideia do que cada uma delas representa, fique tranquilo, porque explicamos logo a seguir.

FPS, ou Fator de Proteção Solar, mede o tempo de exposição da pele ao sol até ela ficar vermelha. De acordo com a dermatologista Sara Bragança, a pele, “quando exposta ao sol sem proteção, leva um determinado tempo para ficar vermelha. Esse tempo depende do tipo de pele e do horário da exposição solar. Por exemplo, quanto mais clara a pele, e quanto maior a intensidade da radiação solar, menor é esse tempo”.
Sendo assim, quando usamos filtro solar com FPS 30, a pele gasta 30 vezes mais tempo para avermelhar.

Já UVA e UVB são dois tipos de raios ultravioleta, ambos prejudiciais à saúde do corpo. As principais diferenças entre eles estão no efeito causado a pele. O UVA é responsável pelo bronzeado, manchas e rugas de médio e intenso grau. O UVB deixa a pele vermelha e queimada, aumenta o risco de câncer, é mais forte entre as 10h e as 16h e possui alto grau de intensidade.

Abaixo, confira algumas dicas sobre a proteção solar e a escolha certa para sua pele.

1 – Tom de pele

Quanto mais clara for a pele, maior deverá ser o fator FPS. As peles morenas possuem quantidade mais elevada de melanina, o que já conta como uma proteção natural para a pele. No entanto, isso não significa que o filtro solar deva ser descartado, porém, as pessoas com pele mais morena poderão optar por um produto com FPS mais baixo.
O mais recomendável pela Sociedade Brasileira de Dermatologia é usar, no mínimo, o fator FPS 30, número que deverá variar de acordo com a pele de cada pessoa.

2 – Influência da estação

Existe um senso comum no qual muitas pessoas acreditam que devem usar protetor solar apenas no verão e, apenas, se forem para a praia, clube, cachoeira e lugar afins. Contudo, é importante lembrar que o filtro solar precisar fazer parte da sua rotina de cuidados. O uso do produto é essencial, seja no outono, primavera ou mesmo no inverno.

3 – Atenção aos ambientes fechados

Outra despreocupação constante está no fato de muitas pessoas acreditarem ser dispensável o uso do protetor solar em ambientes fechados. Ou seja, no trabalho, na escola/faculdade e até mesmo em casa. De novo, caímos aqui no senso comum, pois, o uso do filtro solar em lugares internos também é essencial.
Mas atenção! Nesse caso, a melhor opção é optar pelo filtro solar com cor, já que ele, além de proteger contra a radiação solar, também age como barreira contra a luz visível.

4 – Tipos de textura

Atualmente, existem três tipos de textura comum. Oil free, que não possui óleo na sua composição, ou seja, o produto é mais indicado a pessoas com pele oleosa, mista ou com acnes.
Cremoso, que caracteriza um produto com textura hidratante, mais recomendável para pessoas com pele seca ou em estado ressecado. Toque seco, este garante uma pele mais seca e lisa, também indicado para pessoas com pele mais oleosa.

5 – Atenção ao rosto

Pode usar o mesmo protetor do corpo no rosto? Em suma, sim, porém, muitas pessoas optam pelo uso do filtro solar específico para a face por ele ter tratamento diferenciado. Esses produtos direcionados ao rosto, possuem textura mais adequada à região, evitam deixar a pele brilhosa ou pegajosa.

Conheça toda a linha de proteção solar da Solar Gold clicando aqui.

 

Imagem de capa: Zoom
VOLTAR